Afinal, para que servem as linhas das palmas de nossas mãos?


Algumas culturas acreditam que nossas mãos podem revelar características a respeito de nossa vida, como o tempo em que viveremos e como seremos com relação a amor, saúde, número de filhos e por aí vai. Isso tudo é fundamentado na chamada “quiromancia”, que é a arte de ler a palma das mãos, por meio dessas linhas que todo mundo tem. Mas você sabe, afinal, de onde vêm essas marcas?

Muitas pessoas acreditam que as linhas da mão são como rugas, causadas pelo constante movimento que fazemos, mas isso não passa de uma crendice popular. Na verdade, essas marquinhas, assim como as nossas digitais, surgem enquanto o embrião é desenvolvido, no útero da mãe.

Um embrião não tem pele, mas uma camada de proteção chamada ectoderma, que recebe agentes químicos a todo o momento, sendo que alguns deles são os responsáveis pela formação desses sinais. Esses “desenhos” serão reproduzidos na futura pele do bebê e o acompanharão por toda a vida. Vale ressaltar, porém, que essa formação não tem impulsos genéticos e é por isso que gêmeos idênticos têm impressões digitais diferentes.

Mas, afinal, para que servem essas marcas? Essas linhas que você vê na sua mão ajudam você a conseguir segurar objetos, já que elas são responsáveis por proporcionar atrito e tornar nossa pele menos escorregadia. Para que você entenda melhor essa questão, basta imaginar-se usando algum tipo de hidratante: nesse momento, o creme preenche os sulcos formados pelas linhas de sua mão, fazendo com que ela fique com a superfície mais lisa.

A formação de linhas não segue um padrão e, assim, garante a individualidade de cada um, afinal, as impressões digitais são únicas e servem de indicativo certo para reconhecer a identidade de um indivíduo. Nas pessoas com Síndrome de Down, porém, há um padrão em comum: elas apresentam uma linha na horizontal em suas palmas, como você pode ver na imagem acima. A Ciência ainda não sabe, contudo, por que isso acontece.

Fonte: Megacurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário