O que fazer quando não se tem o que fazer? (Parte I - Livros)

Eu só vou botar os livros nesse post, eu botaria filmes calminhos e séries que podemos ver de modo aleatório também, mas não vou por dois motivos bem convincentes: primeiro por que ficou tarde e eu PRECISO ir dormir, segundo por que o post ficaria grande demais. Então eu dividi o post em três parte:
I - Livros
II - Séries
III - Filmes

Vou botar aqui livros que podem ser lidos de maneiras aleatória. Livros de crônicas e essas coisas. Ou livros bem finos e rápidos/gostosos de ler.


Livros



Não tem como eu deixar de falar desses livros cara. Estou no segundo e simplesmente apaixonada, Douglas Adams já entrou pra minha lista de gênios e os livros uns dos melhores que já li. Narração rápida, divertida e todos os livros são finos. A série O guia do Mochileiro das Galáxias é massa demais!

Os últimos lírios do estojo de seda é um livro tão fofo quanto sua capa. Cada conto exala mais meiguice que o outro.

Só por esses títulos divertidos vocês já podem imaginar né?! Eu sei, parece um livro bobinho e é mesmo, mas é muito engraçado e rápido de ler, um ótimo passa tempo e qualquer volume da coleção é compreensível (eu, por exemplo, comecei do volume 6 e fui regredindo, depois parei). A coleção Querido Diário Otário já está maior do que aí na imagem, mas acho que continua com a mesma qualidade.

Esse, se eu não me engano, foi o primeiro livro que eu realmente parei pra ler, o que é muito irônico por causa do título dele, que é bem sugestivo, não? Foi também, quando eu aprendi que nos livros se pode falar sacanagem. Mais um livro de crônicas que vale a pena ser lido, mas nunca mais eu vi por aí. Em poucos sebos ainda se encontram O mito da infância feliz.

A coleção Sherlock Holmes da editora Melhoramento, é, na minha opinião, uma das mais bonitinhas. Mas, as versões dos livros são bem finas, entretanto não deixam de ressaltar nada importante. Esses dois livros foram os que eu li, o primeiro, como vocês podem ver são diferentes casos, ou seja, dá pra ler aleatóriamente. O segundo é tão bom que não é necessário mais de um dia de leitura, então...

Acharam que eu nunca ia falar de Clarice não é? Pois tanto fizeram que eu me rendi. Sobre os comentários exaltados dela: nada de diferente de qualquer escritora não-ruim. Mas o livro teve que entrar pra essa lista por ser fino, rápido e de contos. Confesso que odiei uns três, e morri de amores por muitos (inclusive o conto Felicidade Clandestina). Leiam.
Acho que a opinião de muitas pessoas mudou em relação ao meu gosto literário, viu gente, eu não sou tão chata. Sempre avisei que sou aberta a todos os gêneros e épocas. Espero que gostem e que tire o tédio de vocês. Comentem se já leram, se vão ler, enfim, o que quiserem, mas comentem haha.
Não se esqueçam da parte II.
Beijinhos de mel.